Refrigerante
14/05/2015 10:09

Outro lado: associação dos refris aponta sete motivos para não abandonar a bebida Veja o que eles dizem e tire suas conclusões!

A Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas Não Alcoólicas (Abir) entrou em contato conosco para dar a sua versão a pontos abordados no texto, que foi elaborado com a orientação da nutricionista do Sesc Deise Réus.
Dê uma olhada no que eles dizem, compare com a reportagem e tire suas conclusões!

1. Caloria vazia
O termo é incoerente, uma vez que toda caloria tem valor energético. O refrigerante oferece calorias de carboidratos simples, que são necessários ao organismo diariamente. Para aqueles preocupados com o consumo excessivo de açúcar, há opções da bebida light e diet.
2. Açúcar
A quantidade de açúcar presente em um copo de refrigerante é equivalente ao mesmo volume de um suco de laranja natural. Para os consumidores com restrições ao consumo de açúcar, a indústria oferece versões de baixa e sem caloria.
 3. Obesidade
É um problema de saúde pública complexo e de múltiplas origens. O desequilíbrio entre o total de calorias ingeridas e gastas, que usualmente decorre de um estilo de vida sedentário, é um dos fatores de risco, assim como condições genéticas, metabólicas, sociais e culturais. Por isso, como mostra a pesquisa do Ministério da Saúde, não é a vilanização de um ou outro alimento ou categoria que vai contribuir para a solução do problema. Todos os alimentos e bebidas contribuem na soma de calorias de uma dieta, inclusive legumes, frutas e sucos espremidos na hora. A Abir entende que refrigerantes podem fazer parte de um estilo de vida equilibrado, que inclua dieta balanceada e prática de atividade física regular.
4. Adoçante
Os adoçantes, presentes em bebidas e alimentos, estão entre os ingredientes alimentares mais estudados no mundo, com centenas de estudos que comprovam sua segurança. Antes de ser aprovado para uso em produtos industrializados, todo aditivo passa por um rigoroso processo de avaliação, conduzido por comitês de especialistas. Os adoçantes utilizados pela indústria são periodicamente avaliados pelos principais órgãos regulatórios e comitês científicos do mundo e seu uso mantido em constante revisão.
 5. Cafeína
Uma lata de refrigerante de 350ml contém, em média, 35mg de cafeína, menos da metade das 72mg encontradas numa xícara de 60ml de café expresso.  Os refrigerantes de cola contêm quantidade relativamente baixa de cafeína, significativamente menores do que a cafeína presente em bebidas como o café e o chá. A cafeína é um dos ingredientes mais estudados em bebidas e alimentos, com séculos de uso seguro. Mais de 140 agências regulatórias em todo o mundo, incluindo a Food and Drug Administration (US FDA), o European Food Safety Authority (EFSA) e a Food Standards Australia New Zealand (FSANZ), consideram seguro o uso apropriado de cafeína em alimentos.
 6. Celulite
É um problema ligado à genética de cada indivíduo e caracterizado pelo acúmulo de gordura entre a pele e os músculos. Como qualquer outro alimento (biscoito, massa branca, arroz branco, farinha), o refrigerante com açúcar pode gerar celulite simplesmente por contribuir com calorias para a dieta.
7. Hidratação
Refrigerantes hidratam e, portanto, podem ajudar a satisfazer a necessidade diária de hidratação de um indivíduo. Em média, quando um homem adulto toma uma garrafa de 240 mililitros de refrigerante, ela fornece 9% das suas necessidades diárias de carboidratos e cerca de 8% das suas necessidades diárias de água..
Fonte: Diário Catarinense

Leia também...