Especial Sicoob - Nova Sede
29/05/2015 10:16 (atualizado em 29/05/2015 10:17)

Especial Sicoob: “Uma nova sede representa crescimento” A nova sede do Sicoob São Miguel segundo o presidente da cooperativa, Edemar Fronchetti, foi pensada minuciosamente e vem ao encontro da necessidade e realidade dos associados


A construção de uma nova sede para o Sicoob São Miguel segundo o presidente da cooperativa, Edemar Fronchetti, já foi  tema de reuniões e conversas com os associados nas comunidades de atuação do Sicoob por muitas vezes, há diversos anos. A necessidade de atender com conforto e segurança quem historicamente ajudou a construir a cooperativa, segundo Fronchetti, resultou no investimento de mais de R$ 16 milhões de reais na construção de uma sede própria em São Miguel do Oeste. 
Ele frisa que, o espaço atualmente utilizado para prestar os serviços, já estava pequeno se comparar a realidade de crescimento da cooperativa. “As necessidades vão desde o espaço físico, segurança, conforto para os funcionários, gestores e principalmente associados. Precisávamos de um local adequado para armazenamento de documentos e organização da própria cooperativa. Há muito tempo o associado cobrava que o Sicoob tivesse uma sede própria no município, diante do quadro de desenvolvimento que atingiu nos últimos anos”, explica. 
Presidente do Sicoob São Miguel, Edemar Fronchetti (Foto: Divulgação)
Fronchetti salienta que atualmente a cooperativa possui 43 mil associados entre São Miguel do Oeste e Joinville e que, nunca havia feito um investimento nesta proporção em uma sede própria. “O volume de negócios trouxe mais complexidade para o Sicoob o que demanda um maior sigilo de informações, segurança e organização. Para desenvolver essa prática precisávamos de um ambiente   propício. Com certeza é um investimento grande, pensado minuciosamente e pago com reservas feitas pela cooperativa ao longo de todos estes anos de trabalho”, enfatiza. 

Empregabilidade e negócios
Atualmente, o Sicoob desenvolve seus trabalhos com o apoio de 250 funcionários sendo que, com a perspectiva de crescimento, a intenção é abrir mais vagas. Além deste fator, que é um dos elementos importantes para o desenvolvimento do município e região, o presidente reforça que a nova sede vai possibilitar a abertura e implantação de mais projetos em benefício dos associados. 
Ele explica que uma das necessidades é ainda a implantação de programas para a área habitacional a qual deverá ser adaptada à realidade dos cooperados até o final deste ano. Além disso, ele destaca o serviço de câmbio realizado pelo Sicoob em pequena escala, e que deverá ser expandido após a conclusão das instalações na nova sede. 
Ainda segundo o presidente, a perspectiva de desenvolvimento é grande. Ele reforça que o Sicoob no Extremo-Oeste tem realizado um trabalho amplo, onde mais de R$ 490 milhões foram emprestados a comunidade regional, com dinheiro do Sicoob e R$ 230 milhões, por meio de recursos do BNDES. “Este é um elemento importantíssimo de movimento da economia e que contribui essencialmente para o desenvolvimento de muitas propriedades e empresas, além de ser um dinheiro que permanece na região”, enfatiza. 

Investimentos e projetos futuros
A nova sede em São Miguel do Oeste, segundo Fronchetti, é mais um dos sonhos realizados. Ele ressalta que a projeção de conquistas é ainda maior, sendo que, até o mês de outubro deste ano, acredita-se na finalização de mais uma obra de investimento em sede própria no município de Guaraciaba e outra sala adquirida em Guarujá do Sul. “Estamos trabalhando para atender as reivindicações dos associados e suas necessidades”, aponta.
Para aperfeiçoar ainda mais o atendimento na nova sede e nas demais agências do Sicoob, Fronchetti destaca a implantação de um projeto de consultoria de gestão dentro do Sicoob, o qual deve servir como base de orientação para os associados sobre o melhor investimento a se fazer, controle do fluxo de caixa, pagamentos, entre outras orientações, que devem, programar o empresário e o agricultor economicamente. “A ideia é oferecer essa ferramenta gratuitamente”, explica. 
Além desse novo projeto, o presidente destaca a continuidade nos serviços já prestados pela cooperativa. “Seguimos atuando com todas as linhas de crédito, algumas com maior volume outras com menor. Temos participação nas comunidades, projetos socioeducativos como o Sicoobito, projetos ambientais como o Microbacias entre outros, que têm contribuído significativamente para o crescimento e desenvolvimento da região”, finaliza.

Galeria de fotos

Leia também...