Dengue
09/06/2015 08:31

Em 2015, 91,2% dos casos de dengue confirmados em SC são autóctones De 1º de janeiro a 1º de junho, foram confirmados 2755 casos de dengue. 97,7% dos contraídos no estado foram em Itajaí, na região do Vale.

Foto: Divulgação
Em cinco meses, de 1º de janeiro a 1º de junho, foram confirmados em Santa Catarina 2755 casos de dengue. Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), a maioria dos casos deste ano foi contraída no próprio estado, 2513, que equivale a um total de 91,2%.
Itajaí, na região do Vale, que apresentou o primeiro caso autóctone neste ano, também foi o município com maior número de casos do gênero, 2457. Com isso, a cidade tem 97,7% da transmissão de todo o estado. O Exército já atua no local no programa de combate da doença.
Neste período, 8062 exames de casos foram feitos para verificar a possibilidade de dengue. Depois de análises, 51,5% foram descartadas, um total de 4.153. Outros 1.154 ainda estão sob suspeita.

Queda de transmissão
Conforme a Dive, a partir do dia 12 de abril, verificou-se uma quedra de números de casos de dengue no estado. A tendência, segundo o órgão, é que os números diminuam. O ápice da doença foi registrado entre 15 a 28 de março, de 584 infectados.

Panorâma do estado
Diferentemente do início do surto, atualmente a minoria dos casos foi adquirida fora do estado, apenas 170 este ano. Outros 72 ainda não tiveram o local de transmissão detectada.
Além de Itajaí, foram registrados casos autóctones em Chapecó, 29, Itapema, 20, Joinville, 4, Bombinhas, 1, São Miguel do Oeste, 1, e Tubarão, 1.
O focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, está em 105 municípios, sendo 21 considerados infestados, em todas as regiões. Ao todo, já são 5044 focos identificados .

Prevenção
A dengue é uma doença infecciosa febril  transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado. Os sintomas são: febre, dor de cabeça, dores musculares e nas articulações, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele.
A Dive orienta que pessoas que estiveram nos últimos 14 dias em uma cidade com presença do Aedes aegypti ou com transmissão da dengue e apresentar os sintomas devem procurar uma unidade de saúde para diagnóstico e tratamento.
Entre as recomendações da Dive para evitar a disseminação do vírus da dengue estão evitar usar pratos nos vasos de plantas e, caso utilize, colocar areia nas bordas; guardar garrafas e objetos que possam armazenar água sempre com a abertura virada para baixo.
Também é necessário manter as lixeiras tampadas, bem como as caixas d’água. Plantas que acumulam água, como bromélias, devem ser evitadas. O acúmulo de lixo também deve ser evitado, pois pode se tornar foco do mosquito da dengue.
Além disso, é importante tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana; rolos devem ficar fechados e desentupidos. Os potes de comida e de água dos animais devem ser lavados com escova, também semanalmente.
Fonte: G1 SC

Leia também...