Saude
18/08/2015 09:03

Meniscos agem como amortecedores, mesmo assim, lesões são comuns em atletas O menisco humano é uma estrutura em forma de meia lua

O menisco humano é uma estrutura em forma de meia lua, que consiste de fibrocartilagem, um material muito forte e flexível. O menisco medial está localizado no lado interno do joelho (na direção do centro do corpo) e o menisco lateral fica ao lado externo do joelho. Juntos, eles agem primariamente na absorção de choques (amortecedores) e na estabilização da articulação do joelho. Mesmo assim, as lesões são comuns, especialmente em atletas.
O médico ortopedista e traumatologista da Ortopedia Reichmann de Chapecó, Joaquim Reichmann, explica que em atletas jovens, muitas lesões dos meniscos são resultantes de traumas. Os meniscos são especialmente vulneráveis a lesões quando ocorre compressão e torção através do joelho. É também muito comum a lesão dos meniscos quando ocorre lesão do ligamento cruzado anterior.
Em atletas mais velhos, muitas lesões de meniscos são resultantes de traumas triviais, como torção, agachamento, ou por atividades repetitivas como corridas que causam stress sobre os joelhos. Estas rupturas ocorrem porque os meniscos têm a tendência de degenerar, como parte do processo de envelhecimento. Esta degeneração frequentemente ocorre em conjunto com alterações artríticas (desgaste) iniciais na articulação do joelho.
Quando um menisco está rompido, causa dor, inchaços e sintomas mecânicos como dificuldade de movimento ou bloqueio da articulação. Uma lesão nos meniscos pode ser diagnosticada baseada na história que o paciente relata e no exame físico do joelho. O cirurgião ortopédico pode também requisitar, além disto, alguns exames como a RM (Ressonância Magnética) que demonstra com maiores detalhes o interior do joelho. Em alguns casos, o cirurgião pode recomendar uma inspeção artroscópica da articulação, um procedimento cirúrgico minimamente invasivo.
Certos tipos de lesões, especialmente em pacientes jovens, podem necessitar de reparo (sutura). A decisão para o reparo está baseada em vários fatores, incluindo: local e padrão da ruptura, idade do paciente, e previsibilidade se a lesão será capaz de cicatrizar.
Outros padrões de rupturas, especialmente em pacientes mais velhos, não são susceptíveis de sutura. “Se o paciente está sintomático, e tratamentos conservadores como fisioterapia e medicação não estão funcionando, a cirurgia para remoção da porção rompida é recomendada”, salienta Reichmann. Esta cirurgia é chamada de meniscectomia parcial artroscópica, e é geralmente realizada a nível ambulatorial, tipicamente em uma hora ou menos.

Galeria de fotos

Fonte: MARCOS A. BEDIN

Leia também...