Saude
19/08/2015 08:58

Governo de SC destina R$ 1,8 milhão para reforçar combate à dengue Medida integra plano de contingência e combate à doença, que passou de 69 casos em 2014 para 3.536 ocorrências até agosto de 2015

A Secretaria Estadual de Saúde anuncia hoje o repasse de R$ 1,8 milhão aos municípios considerados com maior risco de contaminação pelo vírus da dengue. Para discutir políticas de prevenção e lançar o plano de contingência de combate à doença, válido para 2015 e 2016, será realizado hoje, a partir das 16h30, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, um encontro com prefeitos e secretários de saúde de 27 cidades, as que apresentaram maior número de focos (presença de larvas do Aedes aegypti, mosquito transmissor) e casos da patologia.

Nos primeiros oito meses de 2015, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica confirmou 3.536 casos de dengue no Estado. Número alarmante se comparado ao registrado em 2014, quando foram confirmadas 69 ocorrências da doença em Santa Catarina. Neste ano, Itajaí lidera o ranking com 3.159 casos confirmados.

O superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Fábio Gaudenzi de Faria, explica que os recursos serão repassados proporcionalmente ao número de habitantes da cidade.

– Cada município se comprometerá, através da assinatura de um termo de compromisso, a cumprir metas e indicadores para minimizar o risco de uma epidemia em Santa Catarina.

Fortalecimento das equipes de combate

A verba será destinada para aquisição de equipamentos às equipes de combate ao mosquito, contratação de novos agentes de saúde e manutenção de veículos. O secretário de Saúde do Estado, João Paulo Kleinübing, destaca que o objetivo do plano é antecipar as ações para a chegada do verão, quando as altas temperaturas e a ocorrência de chuvas favorecem a reprodução do Aedes aegypti.

Maioria das cidades está na região Oeste

Outro dado que chama atenção é que dos 27 municípios considerados infestados pelo mosquito, 21 estão localizados na região Oeste. No entanto, a grande maioria dos casos se concentra em Itajaí e Balneário Camboriú.

O superintendente de Vigilância em Saúde explica que o Oeste catarinense tem clima propício para a proliferação do mosquito – altas temperaturas e chuva constante – e tem rota intensa de caminhões de cargas, que favorecem o transporte das larvas do mosquito.

– O combate ao mosquito precisa ser permanente, já que pesquisas mostram que está ocorrendo a adaptação do Aedes aegypti ao clima mais frio – observa Faria.

A diretora da Vigilância Sanitária de Itajaí , Rachel Marchetti, relata que no início do ano o município não conseguiu controlar os focos devido à equipe reduzida, e explica que fatores climáticos contribuíram para propagar a doença.

Chapecó está em segundo lugar em número de casos e, conforme a secretária de Saúde do município, Cleidenara Weirich, houve uma redução de 70% no número de casos em relação a 2013. Segundo ela, a maior concentração dos focos está em locais com lixo a céu aberto, principalmente em terrenos baldios.

Alerta para os sintomas

A dengue é uma doença infecciosa febril, transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado. Os sintomas são variados, e costumam incluir febre, dor de cabeça, dores musculares, nas articulações e nos olhos, podendo também manifestar manchas vermelhas na pele.




Galeria de fotos

Fonte: Diário Catarinense

Leia também...