Especial
22/07/2016 10:41 (atualizado em 22/07/2016 10:45)

Cooperativas de produção fomentam agricultura com capacitação aos produtores Cursos, capacitações, programa e palestras são oferecidos pelas cooperativas de produção, aos empresários e trabalhadores rurais associados, e tem possibilitado atender as necessidades de um mercado cada vez mais exigente e disputado

No dia 25 de julho é comemorado o dia do Colono e do Motorista, que são duas classes: uma que transporta a produção e a outra que produz. E a atividade agrícola se profissionaliza em diversos níveis. Diante desse cenário, é necessário adotar uma nova forma de administração do negócio agrícola, em que a propriedade passa a ser vista como uma empresa rural. 
 Para isso cursos, capacitações, programas e palestras são oferecidos pela cooperativa de produção, aos empresários e trabalhadores rurais associados, a capacitação necessária para atender as necessidades de um mercado cada vez mais exigente e disputado. 
As cooperativas de produções – Auriverde e Cooper A1 - têm ofertado diversos programas voltado para o associado do campo. Entres eles, o programa De Olho na Qualidade, que aborda métodos de qualidade baseado em mudanças de hábitos, desenvolvimento das pessoas e melhoria do ambiente de trabalho na propriedade. E o programa QT Rural, que busca criar uma nova visão e uma nova ação por parte dos produtores rurais que queiram permanecer na atividade e viver da renda dos negócios rurais.
Segundo o presidente da Auriverde, Claudio Post, o programa QT Rural mostra aos produtores rurais que é necessário assumir a função de empresários, atuando profissionalmente na prática da agricultura sustentada e na cadeia dos agronegócios, com a aquisição e distribuição de insumos, produção, beneficiamento e distribuição ao mercado consumidor. “Realizamos orientações com os princípios de gestão e também na orientação técnica, onde o produtor tem uma produtividade bem superior a aquela que ele tinha há 15 anos”, evidencia. 
Além disso, Post menciona que a Auriverde realiza capacitações que visam aumentar a renda e dar condições aos associados para investirem em sua propriedade. “Queremos que o associado seja cada vez mais profissional e que tenha uma qualidade de vida e renda melhor, e para isso oferecemos diversos cursos, em vários módulos com tecnologia e metodologia do Sebrae e Senai”, declara. 
Segundo o presidente, outro fator que auxilia na qualidade de vida dos associados, é a capacitação constante dos técnicos para que eles estejam bem informados quando forem transmitir e acompanhar as tecnologias mais modernas que existem hoje no campo. “O agricultor que não estiver acompanhando essa evolução das tecnologias está ficando para trás, não está conseguindo renda e condições mínimas de sobrevivência no campo”, enfatiza.
Ainda, a Auriverde realiza outros programas voltado para o associado do meio rural, como o Cooperjovem que é realizado nas escolas; programa Escola no Campo, com alunos da quarta série; programa Jovem Lideranças; programa voltado para as mulheres; entre outros programas. “Temos programas que inclui toda a família do associado junto com a cooperativa e no mercado atual. E com isso, é possível ver que, mesmo as pequenas propriedades estão conseguindo condições de estar evoluindo, acompanhando as tecnologias e melhorado de vida”, avalia Post. 

Cooper A1 leva formação e informação para jovens e produtores

O grande demarcador das ações de apoio à agricultura dentro de um conjunto de políticas de desenvolvimento rural, é o cooperativismo. E para isso, o presidente da Cooper A1, Elio Casarin, destaca o método de trabalho que a cooperativa tem desenvolvido para o fortalecimento e crescimento do homem do campo. 
A Cooper A1 está inserida em 11 municípios de Santa Catarina e mais sete no Rio Grande do Sul, e hoje faz parte da vida dos agricultoras e dos associados. Casarin menciona que a cooperativa tem contribuído pelo desenvolvimento dos agricultores nessas regiões. “Temos a suinocultura, a atividade leiteira e a avicultura que vem crescendo a cada ano, além de uma agricultura muito forte”, reconhece.
 Para chegar neste cenário, a Cooper A1 disponibiliza mais de 90 profissionais que trabalham no campo, desenvolvendo diversas atividades. “Nosso intuito é fazer com que o nosso agricultor cresça e se desenvolva cada vez mais. Por outro lado nos preocupamos com o quinto princípio do cooperativismo, que é a formação e a informação dos nossos agricultores”, declara Casarin.
Por isso, além dos programas De Olho na Qualidade e o QT Rural, que são trabalhos de planejamento que se faz nas propriedades dos agricultores, a Cooper A1 oferta capacitações dos jovens rurais. “Muito se fala em sucessão familiar, porém se o produtor ter uma empresa produtiva, vamos ter sucessores. A agricultura é uma atividade rentável, e o jovem ganha muito mais do que se trabalhar de empregado na cidade”, frisa o presidente.
A cooperativa também trabalha com os jovens nas escolas ensinando o que é cooperativismo e a forma de produzir mais. “O crescimento dos nossos produtores é visível com o passar dos anos. O crescimento dos municípios da região se dá graças ao cooperativismo e graças ao trabalho dos pequenos agricultores que assumiram efetivamente suas propriedades”, finaliza Casarin.



Galeria de fotos

Leia também...