Política
23/09/2016 09:07 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

“Precisamos urgentemente enxugar a máquina pública” ELEIÇÃO Rudi Miguel Sander (PP) é o candidato a prefeito pela coligação “União por São Carlos”, PSD, PP, PSDB, PT e PR, em São Carlos

Expresso – Primeiramente nos fale um pouco sobre o senhor. Quem é Rudi Miguel Sander?
Rudi Miguel Sander - Rudi Miguel Sander, saocarlense, nascido em 24/01/1978. Filiado ao partido progressista PP, desde 1994. Exercendo o terceiro de vereador. Eleito em 2004, com 408 votos.  Reeleito em 2008, com 428 votos e no seu terceiro mandato eleito em 2012, com 415 votos.


Expresso – Sabemos que todos os setores da administração pública são importantes e merecem atenção, mas, qual sua principal bandeira de campanha?
Rudi Miguel Sander - Entendemos que o nosso município de São Carlos precisa urgentemente de organização, planejamento, trazer o povo para junto da administração, ouvir o povo, e principalmente falar a verdade, sem falsas promessas.

Expresso – Independente do município em questão, a Saúde Pública é sempre muito cobrada e criticada. Aqui em São Carlos, qual o diagnóstico que o senhor faz da Saúde Pública? 
Rudi Miguel Sander - Entendemos e acompanhamos a saúde pública da nossa cidade de perto. Reconhecemos que houve avanços, mas entendemos também que muito precisa ser feito. Iremos manter todos os profissionais que atuam na área da saúde, independente da sua função ou mesmo qualificação. Já conversamos com os profissionais médicos que atuam nas unidades de saúde e demos a garantia de que os mesmos permanecerão trabalhando na nossa gestão, até porque a eleição é para troca de prefeito. Iremos em parceria com o Governo Estadual, adquirir novos equipamentos, como aparelho de mamógrafo, contratação de mais médicos, com especialidades, a exemplo de cardiologista que nosso município não dispõe. Promoveremos uma revolução na área da saúde, tornando São Carlos um Polo Regional em Saúde em parceria com a Associação Hospitalar Padre João Berthier.

Expresso – Os últimos dois anos foram desafiadores para os gestores públicos, em especial para os prefeitos, com queda das receitas e, em alguns casos, dificuldades em até mesmo fechar as contas. Os próximos anos também prometem ser difíceis. Caso eleito, qual as medidas que precisam ser tomadas para manter o investimento no município, mesmo com baixa na arrecadação?
Rudi Miguel Sander - Precisamos urgentemente enxugar a máquina pública. Não é aceitável que um município como o nosso gaste algo próximo de 52% da arrecadação (próxima de R$2,2 milhões por mês) em folha de pagamento. Precisamos rever essa questão. Município com uma folha de pagamento igual à que temos hoje, não precisamos esperar muito de um administrador. Sabemos que temos destinação da arrecadação carimbada e mínima para a área da Saúde e da Educação. Precisamos ter a participação do munícipe, mostrar a aplicação dos recursos, falar a verdade, trabalhar com orçamento participativo, dizer quanto se arrecada e onde está sendo aplicado. Iremos gastar somente aquilo que arrecadarmos, mas com muita responsabilidade e transparência.

Município com uma folha de pagamento igual à que temos hoje, não precisamos esperar muito de um administrador

Expresso – Na visão do senhor, qual o setor com mais problemas e que necessita de maior atenção da Administração Pública em São Carlos? E quais suas propostas para reverter o quadro? 
Rudi Miguel Sander - Não estamos preocupados com um único setor ou mesmo pasta (secretaria), e sim com a administração num todo. Os saocarlenses querem uma administração voltada para o povo e não para um grupo de pessoas. Precisamos de transparência na administração, comprometimento, lealdade, honestidade, trabalhar de forma que o povo seja atendido como deve ser, sem falsas promessas. Olhar no olho, sair do gabinete, precisamos ouvir o povo. Na nossa administração o povo terá vez e voz.

Expresso – O Brasil atravessa uma crise econômica e política, com a população descrente sobre os políticos brasileiros. Por que a população de São Carlos deve pensar diferente e acreditar no senhor, na sua proposta de campanha? 
Rudi Miguel Sander - Nossa coligação formada pelos partidos PP, PSDB, PSD, PT e PR, desde a primeira reunião de composição, lá na sua origem, procuramos ter projetos e ideias que fossem a vontade do povo. Não pensamos nos partidos políticos. Sempre abertos a novas ideias, a sugestões, críticas, mas sempre ouvindo a nossa população. Se hoje estou na condição de candidato a prefeito do meu município, é porque houve uma consulta popular e o povo nos indicou. Não foi uma candidatura construída de última hora. Temos projetos e planos para nosso município que surgiram quando fomos ouvir o povo. As propostas e nosso plano de governo, estão devidamente registrado junto a Justiça Eleitoral.  Representam o anseio da nossa população, não de um grupo de pessoas ou mesmo dos partidos que compõem a nossa coligação.

Expresso – O senhor é o candidato de oposição. De que forma o senhor avalia o atual governo de Cleomar Weber Kuhn?  
 Rudi Miguel Sander - Minha atuação junto a câmara de vereadores, nestes três mandatos, sempre foram na oposição. Mas não foi uma oposição simplesmente por ser de partido contrário a administração. Sempre fui muito rígido e enérgico na fiscalização e aplicação dos recursos públicos. Sempre honrei a função de um legislador, que é de fiscalizar. Fui relator de uma CPI aberta pela câmara de vereadores na administração do então prefeito Godoy, onde apuramos a cobrança de propina por parte do prefeito com um fornecedor do município. Na atual administração, cobrei fortemente dentre tantas ações, a correta aplicação dos recursos públicos, entre elas cito a recuperação de uma retroescavadeira (patrimônio público), que no nosso entender, havia indícios de irregularidades, que agora, com a Operação Patrola, comprovam a nossa preocupação da época dos fatos no ano de 2015. Não farei avaliações quanto ao governo do atual prefeito, pois poderão entender que as faço por ser oposição a administração, deixo-as para a nossa população fazer.

Precisamos de transparência na administração, comprometimento, lealdade, honestidade, trabalhar de forma que o povo seja atendido como deve ser, sem falsas promessas

Expresso – O senhor integra a coligação de oposição? O senhor acredita que isso te ajuda ou atrapalha?
Rudi Miguel Sander - Para nós da coligação “União por São Carlos”, formada pela grande maioria dos partidos políticos constituídos em São Carlos, ser o candidato da oposição não é nenhum atrapalho ou vantagem. Estamos apresentando nosso plano de governo, elaborado, discutido e montado junto com a população de São Carlos. Não o fizemos pensando que somos oposição, mas pensando no melhor para todos. O povo quer mais, não está pensando em simplesmente nos dar a condição de administrar o município por sermos da oposição. Povo quer mudanças, mas mudanças para melhor, administrar para todos, não para um grupo. São Carlos entendeu que o projeto por nós apresentado é o melhor. Será uma administração sem discriminação, sem perseguição, sem falsas promessas, com planejamento, atendendo todos de forma igual e sempre ouvindo as pessoas, que é nossa maior riqueza.  Pois o eleitor que elege um governante, é o mesmo que tira ele de onde está se não estiver trabalhando para todos.

Galeria de fotos

Leia também...