Educação
25/11/2016 10:11 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

Manifestação contra PEC 55 e Reforma do Ensino Médio ocupa ruas de Palmitos PAUTAS O ato também pautou a Reforma da Previdência,entrega do Pré-Sal, terceirização do trabalho,prevalência do negociado sobre o legislado, flexibilidade do contrato de trabalho

Empunhando cartazes e bandeiras, sindicalistas, servidores públicos e estudantes da Escola Felisberto de Carvalho de Palmitos realizaram na sexta-feira, dia 11, um manifesto contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, Reforma da Previdência,entrega do Pré-Sal,medida provisória do Ensino Médio,terceirização do trabalho,prevalência do negociado sobre o legislado e flexibilidade do contrato de trabalho. A aglomeração de pessoas iniciou às 9h, na Praça de Palmitos e foi finalizada com passeata pelo centro da cidade.
Nesse dia foi greve geral em todo País. Na região,o ato foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Chapecó e Região (SITESPM), que contou com o apoio do Sinte e a participação dos alunos do Ensino médio da Escola de Educação Básica Felisberto de Carvalho.
  De acordo com a presidente da Coordenação Municipal de Palmitos do SITESPM, Catarina Fátima de Andrade, o ato teve o objetivo de iniciar uma greve geral como resposta da classe trabalhadora. Ela comenta que as medidas já anunciadas pelo governo e as iniciativas recentemente aprovadas ou em curso no Congresso Nacional, como a PEC 55, apontam numa única direção: retirar direitos da classe trabalhadora, arrochar salários, privatizar empresas e serviços públicos, entregar nossas riquezas à exploração das multinacionais, diminuir drasticamente os investimentos em serviços públicos essenciais, como educação e saúde, e fazer a reforma da previdência.
  Na avaliação dela, pela primeira vez os funcionários públicos se manifestaram contra as medidas que estão sendo retiradas dos trabalhadores. Participaram em torno de 150 pessoas. O estudante Drian Kruger destaca que a luta dos estudantes tem como bandeiras a Medida Provisória 746, que diz respeito a reforma do Ensino Médio, e a PEC 55, que institui um teto de gastos do Governo em Saúde, Educação e Assistência Social. “Nossos professores sofreram opressão do Estado e não puderam participar da manifestação. A PEC 55 é inconstitucional, pois tira nossos direitos, como saúde e educação”, ressalta. 
Para a coordenadora Regional do Sinte de Palmitos, Elivane Secchi, que também é secretária de Políticas Sociais da Central Única dos Trabalhadores (CUT-SC): “a participação dos estudantes é muito importante, nesse ato, por que demonstra conscientização e preocupação com os rumos do País”, reforça. Também, pela manhã, participaram do ato, em Palmitos, o secretário de Formação Política e Sindical, Evandro Accadrolli, e a secretária Adjunta de Organização – Oeste, Fabiana Foletto, ambos da Executiva Estadual do Sinte/SC.
  

Galeria de fotos

Leia também...