Geral
09/12/2016 13:45 (atualizado em 31/12/1969 21:00)

Palmitos recebe certificado de reconhecimento no serviço de Famílias Acolhedoras PROTEÇÃO Durante os 15 anos de Acolhimento Familiar foram atendidas/acolhidas 85 crianças/adolescentes de 0 a 18 anos, cujas famílias ou responsáveis encontram-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção

O município de Palmitos tem se tornado destaque estadual no programa Família Acolhedora. Tanto, que no dia 10 de novembro, o município recebeu uma certificação pela metodologia de atendimento desenvolvida no serviço de Família Acolhedora. O certificado foi entregue durante o II Seminário Estadual de Práticas Exitosas da área da criança e adolescente, na Alesc em Florianópolis, ao prefeito Norberto Gonzatti, a secretária de Assistência Social Franciele Casaril e a psicóloga do Creas Luciana Toniolli.
Segundo os participantes palmitenses, a certificação é dedicada a todos os profissionais que desde a implantação do Serviço de Família Acolhedora no ano de 2001, trabalharam para que o serviço fosse executado da melhor forma possível. “Hoje nosso município é referência em Santa Catarina, pela dedicação, zelo, comprometimento e trabalho que cada um desempenhou. Mas gostaríamos de registrar um agradecimento especial a todas as famílias que fazem ou já fizeram parte do serviço em nosso município, pois estas são ‘peças’ indispensáveis no serviço de Famílias Acolhedoras”, complementam.

Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora
Em Palmitos, o Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora iniciou dia 21 de maio de 2001 (Lei Municipal n° 2.584/2001). Durante os 15 anos de Acolhimento Familiar no município, a psicóloga do Creas, Luciana Toniolli, menciona que foi possível identificar o fluxo de crianças e adolescentes acolhidos, bem como suas características e motivos pelo acolhimento. 
O público de atendimento são crianças e adolescentes de 0 a 18 anos, cujas famílias ou responsáveis encontram-se temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção. Além das crianças e adolescentes que são público alvo, também são atendidas suas famílias de origem, bem como as famílias acolhedoras – tanto as que tiverem acolhendo como as cadastradas.
O Serviço de Acolhimento Familiar caracteriza-se como a única forma de encaminhamento da Proteção Social Especial de Alta Complexidade em Palmitos para crianças e adolescentes em situação de risco. No período de 2001/2015 foram acolhidas 85 crianças e/ou adolescentes, no município.
Segundo Luciana, no período de execução do Serviço de Acolhimento Familiar em Palmitos, observou-se que os motivos que inseriram crianças e adolescente no serviço são relacionados à violação de direitos que culminam em situações de risco dentre elas: abandono, maus tratos, violência sexual e óbito da mãe não havendo família extensa para permanecer com a criança. 
Dentre os acolhimentos, observa-se que das 85 crianças ou adolescentes acolhidos, um total de 47, retornaram à origem, ou seja, 55% do total. Já para a adoção foram encaminhadas 35, representando 41%. Foram duas situações que a guarda subsidiada necessitou ser organizada, ou seja, representando 2% do total. Para a família extensa foram 1% do total e também, uma criança foi a óbito no período de acolhimento.
Durante os 15 anos do Serviço de Acolhimento Familiar no município foi obtido resultados exitosos: 55% das crianças ou adolescentes acolhidos retornaram para sua família de origem; adolescentes foram inseridos em grupos socioeducativos, em cursos profissionalizantes, na universidade e no mercado de trabalho.

Galeria de fotos

Leia também...