Política
24/04/2012 11:03

JOSÉ GUERRA “Vejo uma administração de bastante conversa e pouca ação” Vice-presidente do Diretório Municipal do PR criticou a atual administração, mas ressaltou que o partido faz uma oposição construtiva. Ele disse ainda que o PR está aberto a conversas com todas as siglas

SANTA HELENA

         Na última entrevista da séria sobre a movimentação política no município de Santa Helena, a reportagem do Gazeta Catarinense conversou com José Guerra, vereador e vice-presidente do Diretório Municipal do PR. Ele falou a respeito da atual coligação entre PP, PT, DEM e PR e afirmou que a princípio o partido seguirá na oposição, que segundo ele, trabalha de forma harmoniosa. Apesar disso, Guerra não fechou as portas para outras siglas. Ele destaca que o PR é um partido liberal, diferente do DEM, sua sigla anterior, e que está disputo a conversar.

O vereador disse que o partido tem nomes para compor a majoritária, mas que eles precisam aparecer numa pesquisa que será realizada, visando apontar os candidatos. Guerra falou ainda da administração do prefeito Gilberto Giordano, do PMDB. Para o vice-presidente do partido, a atual administração é de falar muito, e fazer pouco. Ele acredita que é preciso melhorar a Saúde dentro do município e pediu também mais investimentos nas estradas e na agricultura.

 

Gazeta Catarinense- Primeiramente, porque fundar o PR aqui no município. Qual a proposta do partido para Santa Helena?

José Guerra- O PR foi criado em virtude de umas dúvidas que tivemos entre nós na coligação, entre o meu partido, o Democratas, em virtude disso decidimos nos reunir e criar um novo partido. Surgiu essa oportunidade de criar o PR, e criamos. Temos o intuito de oferecer aos cidadãos uma Santa Helena melhor para todos. O PR é um partido mais liberal, sem restrições a ninguém. Um partido que aceita coligações com qualquer outra sigla. Um exemplo: o DEM não poderia coligar com determinado partido, diferente de agora. O PR veio para oferecer um partido mais liberal.

 

Gazeta Catarinense- Após ser fundado, o PR já conseguiu se estruturar?

José Guerra- Sim, com certeza. O partido já está estruturado e com nomes para concorrer a vereador. Conseguimos fazer um processo bom de filiados. Na verdade fizemos uma boa estruturação antes mesmo de fundar o partido. Deixamos uma estrutura pronta para depois de o partido criado, apenas por em prática.

 

Gazeta Catarinense- O PR nasceu de alas de oposição ao atual governo de Gilberto Giordano. O PR está na oposição atualmente?

José Guerra- Sim, continuamos na oposição. Mas aquela oposição construtiva. Somos oposição, mas não oposição ao governo Gilberto. Somos oposição a algumas coisas que vem acontecendo no governo. Não quer dizer que somos oposição ao povo de Santa Helena. A gente é oposição quando vem algo que não é em prol da população. Se vier algo de positivo para a população, somos situação. Diria que não somos uma oposição ferrenha.

 

Gazeta Catarinense- Atualmente o PR possui apenas um vereador, que é o senhor. O que o partido tem feito para aumentar essa representação?

José Guerra- Procuramos mais pessoas que já foram candidatos e vereadores por outros partidos para ingressar no PR. Nomes de maior experiência, visando aumentar o potencial e a representatividade. Tentamos distribuir candidatos por localidades e também estamos mantendo reuniões para nos organizarmos ainda mais.

 

Gazeta Catarinense- A maioria dos integrantes do PR estavam na coligação derrotada pela aliança de Gilberto Giordano no último pleito. Por que o senhor acha que a derrota ocorreu?

José Guerra- Essa derrota ela veio em virtude do desgaste político. Ficamos praticamente 16 anos no poder, e todos sabem que após um período tão longo, sempre há certo desgaste. Eu considero que esse foi o principal motivo da derrota.

 

Gazeta Catarinense- O intuito do partido é permanecer na coligação de oposição para a eleição deste ano? Ou pode pintar uma aproximação com a situação?

José Guerra- A princípio, nosso interesse é de nos manter nessa coligação. Inclusive, somos a maioria na Câmara e estamos mantendo essa maioria. Vai depender de propostas, mas hoje nosso interesse é de se manter nessa coligação. Até porque nossa coligação é bem unida. Tanto é que os cinco vereadores estão trabalhando juntos, sem nenhum problema. É uma coligação bem harmoniosa.

 

Gazeta Catarinense- Na visão do senhor, o PR já nasce com força para buscar um espaço na majoritária?

José Guerra- No município de Santa Helena, sempre lançamos uma pesquisa. O melhor nome é lançado, não interessando o partido. Basta que esteja dentro da coligação. Vejo que se o melhor nome for do PR, estamos preparados, até porque receberemos as forças da coligação.

 

Gazeta Catarinense- Gazeta Catarinense- Hoje, quem seriam os principais nomes do partido para concorrer em uma eventual candidatura na majoritária. O senhor, por ser o vereador, seria esse nome?

José Guerra- Se fosse realizada uma pesquisa e o meu nome estivesse nela, não teria problema nenhum. Poderia ser o meu nome, desde que estivesse na pesquisa. Ou quem sabe até duas pesquisas, uma de intenção e outra de rejeição, porque não adianta ter 20% ou 30 % de intenção de voto e ter 50% ou 60% de rejeição.

 

Gazeta Catarinense- De que forma o senhor e o PR avaliam a administração do prefeito Gilberto Giordano do PMDB?

José Guerra- Eu vejo uma administração de bastante conversa e pouca ação. Promete que faz e não faz. Poderia ser mais objetivo. Vai para rádio e diz que vai fazer, vai para o jornal e diz que vai fazer, mas na realidade a população vê que não está sendo aquela administração esperada. Acho que o povo imaginou que seria diferente, melhor, e não é aquilo que a população estava esperando. Vejo que teria que melhor na Saúde. Eles adquiram muitos carros, mas não melhoram o atendimento da saúde dentro do município, no posto de Saúde. Digo isso não por ser oposição, mas acho que é uma crítica construtiva. No setor da Agricultura ele deixou muito a desejar. Acho que dava para ajudar mais os agricultores, principalmente após 90 dias que praticamente não choveu. Dava para auxiliar um pouco mais na agricultura. No setor de Obras poderia melhorar a malha viária. Nossas estradas necessitariam de um cascalhamento geral.

 

FRASES

 

Somos oposição, mas não oposição ao governo Gilberto. Somos oposição a algumas coisas que vem acontecendo no governo

 

A população vê que não está sendo aquela administração esperada

 

A princípio, nosso interesse é de nos manter nessa coligação

Galeria de fotos

Leia também...