Ciência
16/12/2012 21:01

Depressão pode ser "desligada" com um feixe de laser, afirmam cientistas Até o momento, experimento funcionou em ratos de laboratório

Cientistas acabam de descobrir que a depressão pode ser "desligada" com um feixe de laser direcionado para o cérebro. Até agora funcionou em ratos de laboratório. Os pesquisadores descobriram as áreas do cérebro humano que devem ser atingidas pelo laser, acreditando que o método deve funcionar de forma semelhante aos resultados nos roedores. 

Os resultados de dois estudos relacionados a esta pesquisa foram publicados na revista americana Nature. O estudo é baseado na aplicação optogenética, que se concentra no controle das células nervosas. Ratos de laboratório foram geneticamente alterados de modo a que as células absorvessem proteína reagente à luz. 

Os pesquisadores foram capazes de ativar a célula selecionada (irritá-la) com um feixe azul de laser e depois "desligá-la" com um amarelo. O experimento foi com os neurônios produtores de dopamina no cérebro, juntamente com o mecanismo de indução de sensações agradáveis ou que provocam motivações para várias atividades.

Em pessoas com depressão, o mecanismo é perturbado, por isso não respondem às sensações que no estado normal trazem prazer. 

— Basta uma pequena dose do laser, que já é suficiente para ter um efeito imediato sobre o comportamento crítico do rato _ afirmou o psiquiatra e neurologista Karl Deisseroth, da Universidade de Stanford, que participou dos dois estudos. 

Surpreendentemente, o efeito desta pequena estimulação é suficiente para os sintomas depressivos desaparecerem em segundos. Quando os neurônios de dopamina foram "desligados", os ratos não mostraram nenhum interesse sequer em suas adoradas águas com açúcar.

HORA DE SANTA CATARINA

Galeria de fotos

Fonte: Hora de Santa Catarina

Leia também...